FANDOM


261863 1246565351284 full

Brasão dos Humanos.

Os humanos são umas das raças mais resistentes em Warcraft, tendo sobrevivido às guerras contra os orcs em Stormwind e Lordaeron, à praga de mortos-vivos e a invasão demoníaca da Legião Ardente.

Mestres da magia arcana e divina e das artes da guerra, os humanos construíram um império glorioso chamado Arathor que se dividiu em sete reinos independentes até à criação da Aliança de Lordaeron. Com a queda do império de Lordaeron e dos reinos de Stromgarde e Dalaran, o reino de Stormwind transformou-se no centro de poder humano em Azeroth e líder da Grande Aliança.

IntroduçãoEditar

Os humanos estão entre as raças mais jovens mas a sua coragem, otimismo e versatilidade levou-os a criar grandes reinos, os maiores e mais poderosos sendo Stormwind e Lordaeron. Com vidas mais curtas que a maioria das outras raças, os humanos procuram criar um legado na construção de impérios, exploração e estudo da magia. De facto os reinos humanos exerceram grande influencia no mundo antes da invasão de Azeroth pela Horda de orcs. Muitos humanos pereceram nos conflitos com a Horda e a praga de mortos-vivos e a posterior invasão da Legião Flamejante, deixando sobreviventes cínicos e desgastados, muitos dos quais se juntaram à expedição da maga Jaina Proudmoore ao continente esquecido de Kalimdor.

Os territórios de Lordaeron, incluindo a sua capital, estão atualmente em ruínas e um território contestado entre a resistência humana, os Renegados, o flagelo e criaturas como ogros e trolls. Stormwind, reconstruída após a guerra contra os orcs

Os humanos valorizam a virtude, a honra e a coragem, mas também apreciam o poder e a riqueza. Tendo passado gerações a lutar contra forças das trevas, eles perderam muitos dos seus grandes reinos e esta perda amarga os humanos, e eles têm uma visão de diplomacia que não favorece diplomacia. [1]

HistóriaEditar

No amanhecer dos temposEditar

Os humanos são descendentes dos Vrykul, uma das várias raças criadas pelos poderosos Titãs. Cerca de 15,000 anos atrás os Vrykul acreditavam que os seus deuses os haviam "abandonado" e várias crianças começaram a nascer "fracas e feias". O rei Ymiron ordenou a morte destas crianças: a punição de o não o fazer seria a morte dos pais junto com os filhos. Mas alguns pais desobedeceram a esta lei e enviaram os seus filhos a ir viver para longo de Rasga-Norte.

A ascensão e queda do Império de ArathorEditar

Os humanos se juntaram a linha da frente da história do mundo durante a Guerra dos Trolls. Preocupados que os trolls se tornassem numa ameaça maior, a tribo de humanos Arathi se embarcou numa campanha de conquistar as tribos rivais através de guerra e política. Prometendo paz e igualdade a todos os que se juntassem a eles, os Arathi construíram uma grande nação, Arathor, com capital na cidade de Strom, que se tornou um centro cultural e político para os humanos.

Entretanto os Altos Elfos de Quel'Thalas estavam em guerra aberta com os trolls. Quase à beira da derrota, os elfos enviaram embaixadores a Strom para pedir ajuda ao rei, Thoradin. Em troca da ajuda os elfos decidiram ensinar os humanos no uso da magia. Com estes magos os humanos participaram numa guerra amarga contra os trolls e após a vitória o império de Arathor enfrentou uma paz durante séculos. [2]

Os magos humanos ensinaram as gerações seguintes o uso da magia e, quando o rei Thoradin morreu de idade, eles viajaram paras as terras férteis do norte onde construíram a cidade de Dalaran que se tornou um centro de estudo das disciplinas místicas. Porem o uso da magia começou a desfazer o tecido da realidade em volta da cidade resultando numa pequena invasão demoníaca. Os magocratas pediram ajuda aos elfos que contaram as histórias de Kalimdor e, juntos, criaram o Conselho de Tirisfal para enfrentar qualquer ameaça de origem extra-terrena. [3]

O império de Arathor continuou a expandir-se com as cidades-estados de Gilneas e Alterac sendo construídas, os seus exércitos ajudando na expansão incluindo a criação de Kul Tiras numa ilha a sul de Lordaeron e os primeiros contatos com os anões. Porem os senhores de Strom queriam ir viver paras as terras luxuriosas de Lordaeron e deixar as terras áridas do sul. Com a ajuda das massas amargadas, os senhores de Strom viajaram para o norte onde construíram a cidade-estado de Lordaeron que se tornou uma meca religiosa para todos os que procurassem segurança e paz interior.

Os descendentes de Thoradin, deixados para trás nas ruínas de Strom, viajaram para o sul onde construíram o reino de Stormwind. Os guerreiros de Strom continuaram a defender a cidade que em breve se chamaria de Stromgarde. Com a ida dos descendentes de Thoradin para o sul, o Império de Arathor terminou. [4]

A Aliança de LordaeronEditar

Mil anos após o fim de Arathor, desastre abalou a humanidade quando o Portal Obscuro se abriu e a Horda orca invadiu Stormwind. No inicio o rei Llane Wrynn conseguiu unir os exércitos de Stormwind e derrotar a Horda mas os números de orcs cresceram e no fim Stormwind foi esmagada.[5] Os sobreviventes, liderados por Andiun Lothar, incluindo o principe Varian Wrynn, viajaram para Lordaeron onde as suas histórias dos horrores sofridos conseguiram unir a humanidade sobre a bandeira da Aliança de Lordaeron. 

A Segunda Guerra provou ser desastrosa, com os orcs cercando a cidade de Lordaeron e quase destruindo a Aliança, mas uma traição inesperada levou a uma viragem na guerra e na derrota orc. [6] Os custos da guerra, e a reconstrução de Stormwind, provaram ser elevados e conflitos surgiram entre os lideres da Aliança. Os reinos de Gilneas e Stromgarde saíram da Aliança recusando-se a pagar os altos impostos e os elfos de Quel'thalas culparam os incêndios no seu reino, mas o rei Terenas conseguiu manter os reinos de Stormwind e Dalaran como também os anões de Ironforge. [7]

O reino de Lordaeron foi esmagado por uma misteriosa praga que matou milhares de humanos e os rescussitou como serves do Rei Lich. Até o próprio príncipe Arthas caiu à praga e assassinou o seu pai, destruindo o reino de Lordaeron e entregando-o ao flagelo.

Salvação veio na forma de Jaina Proudmoore, maga de Dalaran e antigo amor de Arthas, que guiada por um estranho profeta liderou os sobreviventes de Lordaeron até ao continente esquecido de Kalimdor onde se aliaram aos elfos noturnos e aos orcs para enfrentar a Legião Ardente. [8]

ReferênciasEditar

  1. World of Warcraft: Role Playing Game
  2. Arathor e a Guerra dos Trolls
  3. Os Guardiões de Tirisfal
  4. Os Sete Reinos
  5. O Portal Obscuro e a queda de Stormwind
  6. A Aliança de Lordaeron
  7. A Aliança se despedaça
  8. O Flagelo de Lordaeron

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Também no FANDOM

Wiki aleatória