Wikia

WowWiki Br

Tyrande Whisperwind

Discussão0
155 pages em
Este wiki
Illidan (com uma faixa nos olhos), Tyrande e Malfurion
Terro-sanAdicionada por Terro-san

Infância e relacionamentos Editar

Tyrande Whisperwind cresceu junto de dois night elves gêmeos chamados Malfurion e Illidan Stormrage na cidade kaldorei de Suramar. Os três eram inseparáveis, brincavam nas árvores, corriam, aprendiam a caçar. Tyrande e os irmãos eram melhores amigos. À medida que se tornavam adultos, encorajavam uns aos outros para encontrar suas próprias vocações. Tyrande iria encontrar paz no Templo de Elune, em Suramar, e se tornou uma nova sacerdotisa na ordem das Irmãs de Elune. Malfurion, entretanto, foi abraçado pelas asas do semideus Cenarius, mas Illidan ainda estava para encontrar seu destino, e procurou por ele nas artes arcanas. Illidan estava apaixonado por Tyrande, mas seu irmão nunca reparou essa "disputa" sobre o coração de Tyrande.


Guerra dos Anciões Editar

Quando a Guerra dos Anciões teve início, Tyrande ajudou a convencer Illidan a deixar o Highborne, e quando ele fez isso, ela o ajudou a aumentar o seu insaciável vício por magia quando procuraram por Cenarius. Quando finalmente o encontrara, ele havia conquistado a aliança dos dragões de Alexstrasza para lutarem a seu lado, e guerreou contra a Burning Legion e seus aliados. Foi durante a luta contra a Burning Legion que se tornou visível que Tyrande era mais capaz de canalizar o poder de Elune do que qualquer outro membro da ordem. Tryande foi por muito tempo amada pelos dois irmãos Malfurion Stormrage e Illidan, mas foi Malfurion a quem ela correspondeu a afeição. Na última parte da guerra, a Alta Sacertodisa Dejahna foi salva por Tyrande das mãos da Burning Legion e agora estava prestes a morrer, e teve então de nomear uma sucessora que tivesse sido tocada pelo poder de Elune: Tryande. Tyrande foi forçada a aceitar relutantemente seu novo papel como High Priestess embora ela tivesse grandes dúvidas quanto a sua habilidade para liderar os night elves.

O Rompimento Editar

Como ela sentia as energias do portal de Azshara crescer, Tyrande sabia que tinha de cortar pela raíz os reforços demoníacos. Malfurion apareceu com a idéia de que eles deveriam destruir o Well, que era sem dúvida a localização do portal. De início, Cenarius e Alexstrasza estavam receosos, sabendo que era apenas o Well of Eternity que os davam seus poderes. Tyrande embora também gozasse de sua imortalidade e poder, percebeu que isto deve ser feito para salvar seu mundo, e convenceu-os a ir junto com ela. Illidan, no entanto, não o ouviu, e apesar das súplicas de Tyrande abandonou seu irmão e foi avisar Azshara. Tyrande e Malfurion rapidamente se moveram contra eles, mas estavam muito atrasados. Azshara, alertada por Illidan, já havia preparado tudo para eles, e o ataque mágico que ela desencadeou devastou as forças deles. Enquanto Malfurion lutava na entrada, Tyrande escapava do palácio de Azshara com um pequeno grupo de sentinelas e lançou um ataque por trás, mas foi surpreendida pela guarda real da rainha. Embora os sentinelas tivessem derrotado os guardas, a maioria deles foram destruídos, e Tyrande sofreu feridas quase fatais. Com o risco de sua amada vir a cair em batalha, Malfurion ficou furioso, e atacou Azshara. Sua batalha transformou o spellcraft em completo caos e o portal abaixo do Well of Eternity desabou com tanta força que foi destruído, e todo o mundo foi marcado, rasgado em fragmentos como inudações engolindo as terras. Tyrande conseguiu sobreviver à catástrofe, e ela ajudou a liderar o seu povo de volta através das ondas para a terra de Cenarius no Mount Hyjal. Cenarius e Malfurion também sobreviveram, e eles fizeram juntos a longa jornada de volta. Para o seu horror, no entanto, um lago acima do Mount Hyjal se tornou poluído pelas energias mágicas da Fonte da Eternidade, que eles achavam ter sumido para sempre. Foi Illidan, que tinha pego vários frascos das águas do antigo Well e colocado no lago, criando o segundo Poço da Eternidade. Malfurion, sabendo que o vício de Illidan por magia iria sempre ser um risco para a segurança do mundo, aprisionou seu irmão nas cavernas abaixo do Hyjal; no Barrow Deeps. No entanto, com a Catástrofe ainda fresco em suas mentes, Tyrande e os night elves não ousaram tentar destruir a nova Fonte.


A Longa VigíliaEditar

Tyrande foi lentamente reconstruindo a sociedade night elf. Depois que a World Tree foi feita, e os night elves exilados, Malfurion sabia que deveria deixar Tyrande e reingressar à Emerald Dream. Tyrande, não desejando ficar sozinha, pediu-lhe para que não, mas ele insistiu, e adormeceu em hibernação no Barrow Den, juntamente com todos os druidas. Tyrande e as night elvens remanescentes reformaram as Sentinelas, e mantiveram a paz em Ashenvale com a ajuda dos filhos e irmãs de Cenarius, dos Guardiões do Bosque e de várias criaturas que conheciam e amavam a Deusa da Lua. Mas sem Malfurion, ela se sentia perdida e sozinha, apesar de sua devoção. Os séculos se passara, e de repente, uma nova ameaça chegou a sua região.

A Invasão de Ashenvale Editar

As Sentinelas de Shadowleaf, lideradas por Shandris Feathermoon, voltaram ao Mount Hyjal para informar com tristeza que Cenarius havia sido assassinado pelos invasores peles-verde que haviam chegado através do mar. Eles foram desmatando os arredores das florestas, e pervertindo os nativos sem qualquer razão. Tyrande reuniu suas Sentinelas novamentes, sentindo um mal crescente. Shandris, no conselho, sugeriu que sugeriu que talvez fossem os orcs, mas ainda ssim, Tyrande estava fortemente ciente de que havia uma energia obscura se escondendo nas sombras. Durante sua curta campanha, Tyrande encontrou um grupo de furbolgs que estavam tentando deixar Ashenvale antes que fossem corrompidos. Tyrande ajudou a reunir seus cidadãos e lhes deu despedida. Após matar Duke Lionheart, hordas de invasores undead invatiram de repente o estabelecimento, e os orcs e humanos foram facilmente superados. Tyrande rapidamente retirou suas forças, sabendo que sua pequena não poderia lidar com esses números surpreendentes. Elas se retiraram, seguidas incansavelmente pelos undead. Finalmente, elas foram capturadas, e seu líder foi finalmente revelado. Archimonde matou todos seus companheiros, e teria matado a ela se ela não tivesse rapidamente usado os poderes de Elune de se esconder nas sombras. Furioso, Archimonde ordenou que sua guarda encontrasse e destruisse ela. Com esperanças de avisar Shandris antes que os Shadowleaves fossem atacados, Tyrande furtivamente usou seus poders para andar na floresta sem ser vista. Ela recolheu os sobreviventes do seu grupo e, juntos, eles invadiram o assentamento undead bloqueando seu caminho e fez um acampamento Shadowleaf do outro lado do rio.

O Despertar dos Druidas Tyrande sabia que era hora de despertar os druids mais uma vez. Deixando Shandris para defender as florestas de Ashenvale, Tyrande partiu para Barrow Dens, em Moonglade. As dryads informaram que Tichondrius e seu Scourge avançavam sobre Barrow Den e o Chifre de Cenarius em Moonglade estava bloqueado por um assentamento orc. Em uma corrida contra o tempo, Tyrande correu através do acampamento orc e, depois de derrotar os Primal Guardians de Moonglade, recuperou o Chifre de Cenarius, e despertou Malfurion Stormrage, seu amor. Os Primal Guardians eram o Fire Protector, Ice Protector e Lightning Protector. Furion acreditou que a motivação primária de Archimonde era atacar Nordrassil, o World Tree, roubar suas energias, e se tornar um deus. Juntos, eles sairam para Winterspring para acordar os Druids of the Talon do seu Barrow Den. No entento, quando chegara, Tyrande encontrou a tribo furbolg de Felwood. Eles não haviam conseguido escapar da corrupção, e Tyrande, não tendo alternativar, acabou com seu sofrimento de uma vez por todas. Furion percebeu que Tyrande estava diferente de como ele lembrava dela, e ela respondeu friamente que ela não se dava ao "luxo de dormir em tempos de perigo." Parece que, tanto quanto ela o amava, ela preferia que ele gastasse seu tempo com ela e, vez de com suas funções no Emerald Dream.

O Barrow Deeps e a libertação de Illidan Depois dos Druids de Talon terem despertado, eles voltaram para o Mount Hyjal, onde entraram no Barrow Deeps para encontrar os Druids of the Claw. No entanto, logo que passaram por uma porta élfica, Furion reconheceu que era a porta da prisão de Illidan. Tyrande achou que deveriam libertá-lo, dizendo que ele seria o perfeito poder contra o inimigo. Furion a proibiu de fazê-lo. No entanto, Tyrande, furiosa por ele ter lhe proibido algo, convocou suas sentinelas e entrou na prisão. Após lutar contra Califax e seus escravos, e derrotar Maiev Shadowsong, o carcereiro de Illidan, Tyrande encontrou ele, e o chamou para voltar e ajudar seu povo. Illidan, aida apaixonado por Tyrande, afirmou que iria batalhar contra os demônios, mas não para a glória dos night elves. Quando eles encontraram Furion novamente, ele repreendeu Tyrande por sua insolência, e disse-lhe que não tinha nada a ver com Illidan. Depois de Illidan ter ido a Felwood para batalhar contra os demônios, Tyrande e Furion ouviram dizer que ele estava sob pesado ataque de Tichondrius. Eles rapidamente organizaram tropas e foram lhe dar reforço. Quando chegaram, viram que o Scourge e Tichondrius haviam sido derrotados, e encontraram Illidan, que havia sido atingido e estava se transformando em um demônio. Tyrande ficou horrorizada, e não fez objeções quando Furion baniu Illidan das florestas pra sempre.


A Batalha do Mounte Hyjal e as consequências Editar

Logo, Malfurion trouxe Tyrande a um monte em Ashenvale, e eles foram encontrados por líderes outlanders. Tyrande mandou-os embora, dizendo que não tinham lugar ali, mas de repente, apareceu o Profeta, revelando-se Medivh, o Último Guardião de Tirisfal. Ele disse-lhes que esse inimigo foi para além de qualquer um deles, e que eles só seriam vitoriosos se juntassem forças. Tyrande, com a morte de Cenarius ainda fresca em sua mente, foi a princípio receosa, mas logo viu que não tinha muita escolha. Então, juntos, eles planejaram sua defesa a Hyjal. Tyrande, Furion, e Shandris ajudaram a defender a base de Jaina Proudmoore até que finalmente superasse, e então moveram-se para reforçar as tropas de Thrall. Finalmente, Archimonde veio depois do massacre aos portões, e destruiu tudo. Tudo estava indo de acordo com o planejado. Archimonde, superconfiante por suas vitórias, moveu-se contra o World Tree, último recanto dos Guardiões Ancestrais que tinham começado a se reunir nas florestas em torno das suas raízes. A um chamado de Furion, eles atacaram em massa o warlock. Quando eles detonaram, Archimonde foi imediatamente destruído, e o World Tree recuperado. Após a grande batalha, os aliados então separaram seus caminhos. O povo de Jaina se fixou na ilha de Theramore, Cairne Bloodhoof dos tauren se estabeleceu em Thunder Bluff em Mulgore, Thrall fundou a nação de Durotar, e Tyrande e Furion levou seu povo de volta a Ashenvale para começar a recuperar os danos causados pela Burning Legion.

Terror das Marés Após alguns meses, porém, eles foram interrompidos por um mensageiro de Maiev Shadowsong, que lhes informou que Warden estava sob pesado ataque de Illidan. Malfurion decidiu ir até ela e auxiliá-la, e Tyrande foi junto. Tyrande e Malfurion rumaram para o leste de Broken Isles e bateram seu caminho para Maiev, onde lutaram corajosamente contra a naga insidiosa de Illidan. Maiev ficou gratificada pela ajuda de Malfurion, mas não demonstrou isto diante da vista de Tyrande. Maiev disse a Tyrande que ela era a culpa da fuga de Illidan e os assassinatos dos Watchers que estavam vigiando ele, e que ela deveria ser presa como Illidan, mas Tyrande defendeu suas ações e afirmou que ela não tinha direito de julgá-la. Illidan disse a ela que ele queria mostrar-lhe o seu poder. No entanto, Tyrande revelou um detalhe que havia assombrado Illidan por dez mil anos; ela acreditava que os poderes mágicos nunca poderiam superar a verdadeira força interior de alguém. Era por isto que ela havia escolhido Malfurion ao invés de Illidan. Tyrande disse a ele que agora havia percebido que libertá-lo havia sido um erro. Como estavam próximos da vitória, Tyrande avisou a Illidan para fugir de cena. Quando Malfurion e Maiev chegaram ao local, Illidan foi visto fugindo ao longe.


Lordaeron e Plaguelands Editar

Os três heróis atravessaram o mar mais uma vez, e aterraram em uma estranha e desconhecida terra. Malfurion as reconheceu como as conquistadas terras de Lordaeron. Com a floresta muito danificada pela passagem do Scourge, ele sentiu que deveria comunicar-se com os espíritos. Ele deixou Tyrande e Maiev sozinhas, dizendo-as para deixarem suas disputas pra outra hora. Passou-se um tempo, e elas já haviam começado a procurar por Illidan quando passaram por um grupo de blood elves, liderados pelo Príncipe Kael'thas. Ele explicou que eles estavam fugindo do Scourge e estavam arrumando suas coisas para evacuar pelo rio Arevass. Tyrande resolveu ajudá-lo, ignorando os protestos de Maiev. A Warden acreditava que elas deveriam ignorar os elfos e apressarem-se para encontrar Illidan, mas Tyrande insistiu que não iria deixá-los desprotegidos uma vez que eram seus irmãos (membros da Aliança de Kalimdor) haviam os socorrido durante a guerra contra a Burning Legion. Tyrande e Maiev lutaram contra os últimos ataques do Scourge e finalmente chegaram a Pyrewood village, mas uma emboscada havia sido preparada, e a caravana ficou sob ataque. Tyrande disse-lhes para atravessar o rio, e prometeu que iria manter a guarda. Maiev, zombando da nobreza dela, disse que ela nunca iria suportar aqueles ataques. Mas Tyrande estava confiante de que Elune iria protegê-la e lhe dar a força necessária.

Com as forças undead avançando, Tyrande invocou as forças das estrelas para detonar os inimigos de seu povo, e as linhas de
Tyrande
Terro-sanAdicionada por Terro-san
undead cairam frente a ela. Porém a ponte onde ela estava acabou desabando, e Tyrande se arrastou até o rio, entrando em território undead. Maiev disse a seus aliados blood elves aliados para ajudá-la a caçar Illidan em vez de guardar Tyrande.

Com suas forças quase esgotadas, Tyrande se encontrava em uma pequena ilha de território undead. Os ataques incansáveis começaram a desgastá-la, e ela achou que estivesse perdida. Mas, para sua surpresa, Illidan derrotou todos e foi ao seu encontro para resgatá-la, levando-a por um portal para um lugar seguro. Quando eles saíram do portal, Tyrande admitiu sua surpresa com aqueles acontecimentos, e descobriram que Malfurion e Illidan haviam unido forças para salvá-la. Furion disse a Illidan que suas ações haviam salvado sua vida, mas que ele nunca mais deveria penetrar em um território night elf novamente. Illidan entendeu, e atravessou de volta o portal. Maiev cheghou e ficou furiosa por Furion ter deixado Illidan escapar, e enviou seus Watchers pelo portal. Tyrande mandou que ela parasse, mas Furion a disse para não gastar seu fôlego. Maiev estava possuida por vingança, e deixara de ouvir a razão. Tyrande então convidou Malfurion para retornarem para casa para um grande descanso enfim.

Fonte: [1]

Mais da comunidade Wikia

Wiki aleatória